IDDH

educardh
Incidência Internacional

Covid-19, direitos humanos e juventude

O Grupo de Trabalho de ONGs sobre Educação e Aprendizagem em Direitos Humanos apresentou manifestação oral durante o Debate Geral- Item 3, da 46ª Sessão do Conselho de Direitos Humanos.

Formado por 20 organizações da sociedade civil, o Grupo de Trabalho conta também com a participação do Instituto de Desenvolvimento e Direitos Humanos (IDDH), co-patrocinadora da declaração.

Na manifestação, Aziel Goulandris (Soka Gakkai), porta-voz do grupo, ressaltou que no contexto de crise em razão da pandemia, os direitos humanos e a educação em direitos humanos não devem ser interrompidos. Na verdade, eles devem estar no centro das preocupações.

Além disso, pediu aos Estados-membros para que levem em consideração os impactos da pandemia ao fazerem suas recomendações no mecanismo da RPU e para que implementem, de forma significativa, a 4ª fase do Programa Mundial de Educação em Direitos Humanos (PMEDH-4).

Confira a declaração no vídeo (com legendas em português)

Transcrição abaixo

Falo em nome de 20 ONGs do Grupo de Trabalho de ONGs sobre Educação e Aprendizagem em Direitos Humanos.

Um ano de pandemia trouxe desafios sem precedentes para o mundo. Além da crise de saúde, a crise econômica iminente teve um impacto dramático na vida das pessoas e afetou enormemente o direito à educação de crianças e jovens, afetando particularmente aqueles com menos oportunidades, ao mesmo tempo em que aprofunda as desigualdades.

Nosso grupo de trabalho reafirma que os direitos humanos e a educação para os direitos humanos não devem ser interrompidos. Referindo-se à resposta global, o Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos enfatizou que “A dignidade e os direitos humanos precisam estar na frente e no centro desse esforço e não em uma reflexão tardia”.

Incentivamos os Estados Membros a abordar os impactos da pandemia sobre os direitos humanos de forma concreta por meio de recomendações durante as sessões do Grupo de Trabalho da RPU. Os Estados membros, especialmente em tempos de crise, devem ter uma abordagem coerente em relação à educação em direitos humanos.

No 10º aniversário da adoção da Declaração Universal sobre Educação e Aprendizagem em Direitos Humanos, nosso grupo de trabalho gostaria de destacar sua crescente relevância, pedir aos Estados membros que implementem significativamente o Plano de Ação da quarta fase do Programa Mundial como uma condição fundamental para garantir que os direitos humanos estejam de fato no centro, e não uma reflexão tardia nesta crise da Covid-19.

Confira também: Alerta sobre o Programa Mundial EDH