IDDH

educardh
RPU

Portais, de Gabriela Fernandes

“Portais” é o título da obra que estampa a capa do relatório “Defensoras e defensores de direitos humanos e espaços democráticos”.

O trabalho é resultado de uma colagem de fotografias produzidas em uma imersão artística na cidade de Natividade, no Tocantins. A obra traduz a visão de Gabriela Fernandes e seus sentidos percorridos na visita ao sítio Jacuba, em que conheceu o trabalho e o universo místico/artístico de Mãe Romana, vidente e líder espiritual.

Gabriela tem 31 anos, mora em Palmas e é artista visual e pesquisadora. Graduada em Artes Visuais pela UFRB, é membro do grupo de pesquisa e extensão Áfricas nas Artes, vinculado ao Centro de Artes, Humanidades e Letras, da UFRB. Atualmente, desenvolve pesquisas abrangendo corpo em forma de ilustração, sobrepondo ao uso da monocromia e da figura geométrica como plano de fundo, tendo como base a simbologia das formas.

Suas obras mesclam técnicas como óleo sobre tela, desenho, nanquim, aquarela, colagem, assemblagem, acrílica sobre madeira e outros objetos, fotografia e pintura facial.

Seu portfólio está disponível aqui e no Instagram.

Olhares do Brasil

Promovido pelo Instituto de Desenvolvimento e Direitos Humanos (IDDH), o edital Olhares do Brasil selecionou 10 obras de artistas brasileiros/as para ilustrar as capas de relatórios sobre direitos humanos no país, que serão apresentados em Sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU, em 2022.

Sob a coordenação do IDDH, os documentos foram elaborados pelo Coletivo RPU Brasil — coalizão que reúne mais de 30 organizações/redes que monitoram os direitos humanos no país através de um mecanismo da ONU chamado Revisão Periódica Universal (RPU).

Dentre os assuntos trabalhados nos relatórios estão: saúde sexual e reprodutiva, orientação sexual e identidade de gênero, discriminação contra as mulheres, violência contra as mulheres, liberdade religiosa, povos indígenas, meio ambiente e mais.