IDDH

educardh
RPU

Infância ribeirinha, de Larissa Dutra

“Infância ribeirinha” é o título da obra que estampa a capa do relatório “Educação, austeridade e discriminação”.

Produzida em acrílica sobre tela, a obra de Larissa Dutra é inspirada na fotografia de Meyriane de Mira feita em uma unidade de conservação brasileira de proteção integral da natureza, conferindo à obra uma cena essencialmente rica em brasilidade. A intensa ligação entre o corpo e a natureza está evidenciada na obra, personificada na materialização de uma criança amazonense banhando-se nas águas doces do Rio Negro, em meio à floresta.

Larissa tem 24 anos, mora em Recife, Pernambuco, e desenha desde a infância. É uma artista experimental cuja trajetória se desdobra sobre diversos objetos, suportes e técnicas, sendo o desenho e a pintura as linguagens primárias por onde iniciou seu desenvolvimento criativo. Dentre suas inspirações estão as obras do filósofo Ailton Krenak e da bióloga Donna Haraway.

Seu portfólio está disponível aqui e no Instagram.

Olhares do Brasil

Promovido pelo Instituto de Desenvolvimento e Direitos Humanos (IDDH), o edital Olhares do Brasil selecionou 10 obras de artistas brasileiros/as para ilustrar as capas de relatórios sobre direitos humanos no país, que serão apresentados em Sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU, em 2022.

Sob a coordenação do IDDH, os documentos foram elaborados pelo Coletivo RPU Brasil — coalizão que reúne mais de 30 organizações/redes que monitoram os direitos humanos no país através de um mecanismo da ONU chamado Revisão Periódica Universal (RPU).

Dentre os assuntos trabalhados nos relatórios estão: saúde sexual e reprodutiva, orientação sexual e identidade de gênero, discriminação contra as mulheres, violência contra as mulheres, liberdade religiosa, povos indígenas, meio ambiente e mais.